Preso homem que assaltou lotérica em Niquelândia e fugiu para Uruaçu

impressões digitais deixadas pelo criminoso no vidro da lotérica foram coletadas e comparadas por um papiloscopista.

Policiais civis e militares de Niquelândia e de Uruaçu prenderam na terça-feira (20/06) um homem que havia assaltado uma lotérica na região central de Niquelândia na véspera. Na ocasião, o criminoso estava armado e levou aproximadamente R$ 5 mil do estabelecimento.

Imagens registradas pelas câmeras de segurança da lotérica ajudaram na identificação do assaltante Jaquilane Alves Mendes, 30 anos. De acordo com o delegado Cássio Arantes do Nascimento, o autor do roubo decidiu pelo assalto quando notou que uma mulher havia efetuado um depósito de mil reais no local.

Imediatamente após tomar conhecimento do delito, os policiais civis iniciaram diligências para localizar o criminoso. Segundo o delegado, restou apurado que Jaquilane pegou um mototaxi no centro de Niquelândia e se dirigiu até o Jardim Atlântico. De lá, ele tomou um táxi até o povoado de Indaianópolis, onde escondeu-se na casa de um irmão. “Esse parente teve acesso ao vídeo amplamente divulgado no aplicativo WhatsApp e recusou-se a dar teto para o irmão assaltante, mas deu carona para levar Jaquilane de volta à área urbana de Niquelândia”, explicou o delegado.

A esta altura, todavia, a Polícia Civil já havia levantado em sistemas próprios a real identidade do rapaz e apurado que Jaquilane tinha em seu desfavor um mandado de prisão em aberto por condenação anterior a uma pena de nove anos e quatro meses de detenção. Em Indaianópolis, os investigadores descobriram, após entrevistar a cunhada do assaltante, que ele pretendia fugir para Uruaçu.

Com o apoio da PM, as equipes se dividiram e alguns policiais seguiram para Uruaçu. Em meio às buscas, o coronel Maxwell Franco de Morais ordenou que todas viaturas da Polícia Militar que estavam em patrulhamento em Uruaçu dessem respaldo ao GPT de Niquelândia à imediata prisão de Jaquilane. Na sequência, o Genarc de Niquelândia recebeu a informação de que o assaltante havia se hospedado num hotel em Uruaçu. Nesse local, a PM de Uruaçu prendeu Jaquilane com a arma (uma pistola 765) usada no assalto e em poder de cerca de mil reais.

Encaminhado para a DP de Niquelândia, Jaquilane foi interrogado e confirmou a autoria do assalto, dizendo que pretendia seguir viagem de Uruaçu para Goiânia.

O delegado relatou que as impressões digitais deixadas pelo criminoso no vidro da lotérica foram coletadas e comparadas por um papiloscopista. “Tudo leva a crer que, pelo fato de Jaquilane morar em Goiânia, ele tenha subestimado a capacidade de articulação e de investigação da Polícia Civil aqui da região, mas ele se enganou”, discursou Cássio Arantes. E completou: “A Polícia Civil de Goiás hoje possui tecnologia e cientificidade para fazer investigações”.

Fonte: O anápolis

Leave a Reply