De nove mortos em rebelião do sistema semiaberto, três não foram identificados

De nove mortos em rebelião do sistema semiaberto, três não foram identificadosSecretaria de Segurança Pública informa que terão de ser usados meios científicos para confirmar a identidade de assassinados durante motim

Apenas três, dos nove mortos, tiveram a identidade revelada, segundo informou o Instituto de Identificação de Goiás. Os nomes dos mortos surgiram depois do exame de papiloscopia (impressão digital). Os presos são Ravel Nery de Amorim, David de Oliveira Borges e Waldevir Xavier da Silva, que estavam detidos por roubo qualificado e formação de quadrilha.

Ontem já havia sido identificado Pablo Henrique Alves Silva, de 21 anos. Ele foi preso em 2015 pela Rotam, no Bairro Goiá, com arma de uso restrito, um veículo SUV roubado, explosivos, drogas e uma balança de precisão.

Outros dois corpos estão em tratamento para que as impressões digitais sejam recuperadas.

Três vítimas terão que passar por métodos científicos usados quando a papiloscopia não é capaz de apontar uma identificação. Serão realizados exames de odontologia legal — com confronto de arcada dentária —, antropologia forense e, em último caso, DNA.

Fonte: MaisGoiás

Leave a Reply